Na Câmara, Felipe Maia afirma ser uma “triste realidade” RN registrar aumento de mil homicídios em 2018

Image is not available

Em audiência com Presidente da Caixa Econômica, bancada do RN discute prejuízos de cancelamento de convênio com Neoenergia

Image is not available

Em audiência com Presidente da Caixa Econômica, bancada do RN discute prejuízos de cancelamento de convênio com Neoenergia

Image is not available

No Ministério da Saúde, Bancada potiguar solicita liberação recursos para Instituto de Medicina Tropical e Núcleo Genômica da UFRN

Image is not available
Arrow
Arrow
Slider
Quinta, 30 Novembro 2017 00:51

Em discurso, Deputado Felipe Maia comemora aprovação de projetos sobre segurança pública

Na sexta sexta-feira, dia 10 de novembro, em discurso no Plenário da Câmara dos Deputados, o deputado federal Felipe Maia (DEM-RN) comemorou a análise do chamado Pacote de Medidas de Segurança Pública, aprovados nessa semana na Casa. Entre os projetos aprovados está o projeto que trata do saidão dos presos, que segundo o parlamentar, é uma medida urgente em todo o país.

“É necessário mais rigidez nas concessões de saída temporária dos presos. Infelizmente, alguns presos cometem crimes nesses saidões concedidos pela Justiça. Agora, a quantidade de dias em que o preso poderá sair da cadeia foi reduzida, de sete para quatro dias e a renovação de quatro para uma vez por ano”, explicou.

De acordo com Felipe Maia, a proposta que prevê a obrigatoriedade do bloqueio de celulares é outra medida essencial para combate da criminalidade.

“A ideia é eliminar a possibilidade dos presos terem acesso à internet e chamadas telefônicas durante o período que estão reclusos, impossibilitando-os de cometer crimes dentro do ambiente prisional”, disse o parlamentar.

Se aprovada no Senado Federal e sancionada pelo Presidente da República Michel Temer, a proposta obrigará as operadoras de telefonia instalarem os bloqueadores de celular em presídios e também nos estabelecimentos que abrigam adolescentes infratores, sob pena de multa de até R$ 1 milhão. As operadoras ficam responsáveis, pela manutenção, troca e atualização tecnológica dos equipamentos.