Na Câmara, Felipe Maia afirma ser uma “triste realidade” RN registrar aumento de mil homicídios em 2018

Image is not available

Em audiência com Presidente da Caixa Econômica, bancada do RN discute prejuízos de cancelamento de convênio com Neoenergia

Image is not available

Em audiência com Presidente da Caixa Econômica, bancada do RN discute prejuízos de cancelamento de convênio com Neoenergia

Image is not available

No Ministério da Saúde, Bancada potiguar solicita liberação recursos para Instituto de Medicina Tropical e Núcleo Genômica da UFRN

Image is not available
Arrow
Arrow
Slider
Quinta, 30 Novembro 2017 00:48

Técnicos da Petrobras garantem a bancada potiguar investimentos e manutenção de empregos em Refinaria Clara Camarão

Em reunião com técnicos da Petrobras, nesta terça-feira (7), a bancada federal do Rio Grande do Norte e o Prefeito de Guamaré, Hélio Willamy, discutiram sobre os planos de investimentos e de gestão da empresa no Rio Grande do Norte. A preocupação da bancada é que as mudanças previstas na administração da Refinaria Potiguar Clara Camarão, localizada em Guamaré, gerem fortes impactos no desenvolvimento econômico no estado.

"Buscamos uma resposta oficial da empresa sobre o compromisso de não haver redução de investimentos, uma vez que a Refinaria voltará a ser gerenciada pela Diretoria de Exploração e Produção. A notícia que tivemos foi que a Refinaria passaria a estar fora do mapa de investimentos da Petrobras, o que foi esclarecido que não é verdade", enfatizou o coordenador da bancada potiguar, deputado federal Felipe Maia (DEM).

Durante o encontro, os parlamentares também questionaram a possível redução de empregos com a nova estrutura de gestão da Refinaria.

"Apesar da nossa preocupação, fomos informados que não haverá demissões de funcionários. Eles serão realocados para outras áreas dentro da empresa", disse o deputado.

De acordo com Felipe Maia, em nome da Petrobras, os técnicos da empresa se comprometeram em emitir uma nota oficial para esclarecer explicar a situação.

"Sugerimos que fosse emitida uma nota para tranquilizar a população potiguar, com o objetivo de esclarecer que essas mudanças não irão trazer prejuízos para a Refinaria e nem acarretará em desempregos no estado", concluiu.