Na Câmara, Felipe Maia afirma ser uma “triste realidade” RN registrar aumento de mil homicídios em 2018

Image is not available

Em audiência com Presidente da Caixa Econômica, bancada do RN discute prejuízos de cancelamento de convênio com Neoenergia

Image is not available

Em audiência com Presidente da Caixa Econômica, bancada do RN discute prejuízos de cancelamento de convênio com Neoenergia

Image is not available

No Ministério da Saúde, Bancada potiguar solicita liberação recursos para Instituto de Medicina Tropical e Núcleo Genômica da UFRN

Image is not available
Arrow
Arrow
Slider
Terça, 24 Outubro 2017 16:50

Em discurso, Deputado Felipe Maia alerta sobre redução de repasses do Programa Minha Casa Minha Vida

Nesta terça-feira, dia 10 de outubro, o deputado federal Felipe Maia (DEM-RN) alertou na tribuna do plenário da Câmara, sobre a redução dos valores repassados para o Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) em todo o Brasil. As contratações de novos empreendimentos foram reduzidas na primeira metade do ano. Segundo o parlamentar, no Rio Grande do Norte foram liberados cerca de R$ 300 milhões, só no primeiro semestre.

“Em setembro o valor do repasse para o meu estado foi de R$ 3 milhões, mas em outubro ainda não há previsão do valor que será repassado. No primeiro semestre, em todo o Brasil foram contratadas 72,6 mil unidades no MCMV, o que corresponde a 12,7% da meta consolidada de 570 mil unidades em 2017, segundo dados divulgados pelo Ministério das Cidades. Ou seja, falta muito para atingir-se a meta prevista para este ano”, disse.

De acordo com o parlamentar, a principal razão da redução dos repasses foi à má gestão do governo federal anterior, que comprometeu o patrimônio público da Caixa Econômica Federal. Vale lembrar que a Caixa é hoje o principal agente operador dos programas sociais e de políticas públicas no país.

 “Infelizmente, a irresponsabilidade está sendo refletida nos dias de hoje e com as mudanças previstas no acordo de Basileia III, os bancos terão que promover políticas de reorganização orçamentária. A Caixa precisa criar uma reserva de capital, em todas as suas atividades financeiras, como é o caso dos empréstimos. Isso porque, a Caixa já atingiu o seu teto para empréstimo, o que também tem atingido o comprometimento dos repasses”, explicou o deputado federal.

Felipe Maia enfatizou que os brasileiros não podem mais ser prejudicados com a falta de repasse.

“O objetivo é investir no desenvolvimento do Brasil e algumas medidas são essenciais. Temos duas alternativas para amenizar essa situação: ou aumenta o patrimônio da Caixa Econômica ou reduzir os empréstimos firmados pelo banco para que se direcione mais recursos financeiros para o Programa, dessa maneira, a população não será prejudicada ainda mais com a falta do repasse”, afirmou.