Em reunião com bancada potiguar, prefeitos do RN pedem apoio para aliviar a crise nos municípios

Image is not available

Deputado Felipe Maia e bancada do Nordeste pedem a Temer sensibilidade em dívidas de produtores rurais e liberação de repasse extra ao FPM

Image is not available

Em discurso, Deputado Felipe Maia comemora aprovação de projetos sobre segurança pública

Image is not available

Técnicos da Petrobras garantem a bancada potiguar investimentos e manutenção de empregos em Refinaria Clara Camarão

Image is not available
Arrow
Arrow
Slider

Quem é Felipe Maia?
 
Felipe Catalão Maia (Rio de Janeiro,7 de dezembro de 1973) é católico, advogado, empresário e, atualmente, está em seu terceiro mandato como deputado federal pelo estado do Rio Grande do Norte, filiado ao Partido Democratas. Filho do senador José Agripino Maia, casado e pai de um menino. Ele é o filho caçula e tem somente mais um irmão, Alexandre Maia, também casado e tem três filhos.
Ao decorrer de sua vida, o parlamentar morou em quatro capitais brasileiras, Recife, Rio de Janeiro, Natal e Brasília. 
Em seu mandato na Câmara dos Deputados, Felipe Maia tem pautado a sua atuação em geração de emprego e renda, educação, saúde, participação popular na política, segurança pública, entre outros temas. 
Em 2012, o deputado foi considerado pela Revista Veja o parlamentar que melhor se desempenhou em favor de um país mais moderno e competitivo. O chamado “ranking do progresso”, avalia o posicionamento dos parlamentares a respeito de assuntos como carga tributária, qualidade da educação e combate à corrupção.

Vida acadêmica
 
Formou-se em Direito na Faculdade Cândido Mendes, no Rio de Janeiro. Graduou-se em Administração Financeira na Fundação Getúlio Vargas (FGV) e, também na instituição, cursou MBA em Gestão Empresarial.
 
Enquanto cursava a graduação, o hoje deputado fez estágio em um escritório de advocacia voltado para propriedade industrial, cuja atuação era voltada para ações na área de responsabilidade civil de uma grande empresa de cervejas e refrigerantes, onde permaneceu por três anos. Após concluir os estudos e tirar a carteira da OAB, que mostra com orgulho, Felipe trabalhou em outro escritório, que prestava serviços para uma multinacional. Essas duas experiências permitiram ao parlamentar o contato com a parte prática do Direito, em que aprimorou sua análise e elaboração de processos e pareceres. Lição que acabou levando para a Câmara dos Deputados. Por seus relatórios precisos e suas ideias coerentes, Felipe Maia já relatou mais de 100 projetos na CCJC. Grande parte acatada pelos demais parlamentares integrantes da Comissão.
 
Vida empresarial
 
Como empresário, atua na área de transportes, venda de combustíveis e revenda de motocicletas. Apesar de ser considerado um gestor dedicado, o parlamentar colocou a carreira empresarial em segundo plano ao entrar na política.
 
“Decidi entrar na vida pública e sabia que teria que abrir mão de algumas coisas. Quem é político dedicado tem 100% do seu tempo preenchido com atividades voltadas para o estado. E como não consigo me dedicar a nada pela metade, mergulhei na vida pública de cabeça. Com isso, tenho uma rotina dividida entre os afazeres da Câmara e a presença no estado. Procuro fazer bom trabalho em Brasília e no RN”, explica Felipe Maia. 
 
Felipe Maia fez carreira no comércio e na comunicação, sendo escolhido, em 2005, para a vice-presidência da Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Norte (CDL-RN).
 
“Geralmente, o que escuto da população nos municípios levo para o Congresso e uso de embasamento para discursos e projetos de lei. Então os dias são sempre preenchidos. Mas, quando se faz com vontade, o fardo não é pesado. Ajudar o outro paga o preço”, acrescenta.
 
Vida política
 
Em 2006, ingressou formalmente na política, elegendo-se deputado federal pelo Rio Grande do Norte, com 124.382 votos, para a legislatura 2007-2010. Quando decidiu ingressar na carreira política, Felipe Maia não levava na bagagem experiência de vida pública. Ele contava com os ensinamentos e a presença do pai, e o legado do avô, o ex-governador Tarcísio Maia. 
Na sua primeira disputa eleitoral, o jovem candidato contou com a confiança da população e, aos 33 anos, foi eleito para ocupar uma das oito cadeiras do Rio Grande do Norte na Câmara dos Deputados, em Brasília.
 
Por ser a sua primeira eleição, Felipe Maia teve o apoio incondicional dos pais, que o orientaram em pontos importantes da campanha. E deu certo. Sempre que questionado, o deputado diz com orgulho o número exato de votos que obteve em sua primeira eleição.
 
“Recebi 124.382 votos. Considero cada eleitor. Não deixo nenhum fora, pois cada um foi fundamental para a vitória”, garante.
 
Na Câmara dos Deputados, Felipe Maia é vice-líder do partido Democratas e coordenador da bancada do Rio Grande do Norte no Congresso Nacional.
 
Ele é membro titular, desde o seu primeiro mandato, da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) e da Comissão de Defesa do Consumidor. 

O parlamentar, que já está em seu terceiro mandato, também é membro das Comissões Especiais destinada a estudar e debater os efeitos da crise hídrica no país; e a destinada a proferir parecer sobre o PL 3381/04 (que dispõe sobre a Vigilância Sanitária o uso de produtos de origem natural para a área de saúde); e da Comissão Externa destinada a acompanhar o andamento das obras da ferrovia Nova Transnordestina.  Além das comissões, Felipe Maia também faz parte da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio, Serviços e Empreendedorismo.
 
“Trabalho para ser o porta-voz da população que me elegeu. E o que o povo busca é qualidade de vida. Deixando um pouco mais de dinheiro nas mãos do brasileiro, ele poderá investir na sua família e oferecer aos seus filhos condições mais dignas de se viver.

Na Câmara, Felipe Maia é autor de 28 projetos de lei. Entre eles, o PL 2195/11, que determina a discriminação nas notas fiscais dos tributos incidentes sobre bens e serviços, que virou Lei Federal 12.741/12. Outras propostas importantes são: o PL 2024/11, que dispõe sobre o uso da assinatura digital nos projetos de lei de iniciativa popular, que já está na pauta do Plenário da Câmara; o PL 7802/14, que dispõe sobre a redução do imposto sobre a renda e proventos de qualquer natureza da pessoa jurídica quando da contratação de profissionais recém-formados nos cursos de graduação e ensino técnico profissional sem experiência; o PL 7738/10, que dispõe sobre a fraude em concursos públicos e o PL 7054/10, que determina que os editais de concursos públicos realizados pelos órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta elaborem cronograma das etapas e resultados.